MUDAMOS!!!!!

Visite também o meu novo blog, ainda mais divertido e interessante! Acesse o Estante Nerd!

**

Depois de um ano e meio tendo o Blogspot como casa chegou a hora do Reviews Quadrinhos crescer!!! O Reviews agora está se mudando pros domínios da Rede Gehspace. Agora a nova url do blog é http://gehspace.com/reviewsquadrinhos. Peço a leitores, amigos e perceiros que atualizem sua lista de favoritos.

Liga da Justiça 65

terça-feira, 22 de abril de 2008


O mistéria da Safira Estrela, parte 1

Essa edição da revista do Lanterna é uma introdução à saga Sinestro Corps, ou fruto de muita preguiça por parte do roteiristas. Conta com apenas 16 páginas e um roteiro bem simples. Não que eu não goste do coisas simples, mas essa ta simples demais.

Pra começar vemos a volta da Safira Estrela, que tinha morrido em Crise Infinita, reforçando a tese de que quem é morto nos quadrinhos sempre aparece. Ela vai a procura do corpo de Carol Danvers porque é a ela que Hal Jordan ama.

Depois de achar Hal conversando com a Vaqueira (que nome tosco) e ter algumas piadinhas que salvam a revista, Safira percebe que Hal não ama mais Carol e possui o corpo da Vaqueira e... e fim! Quando a hq acaba você fica com aquela sensação de "ué, mas já?", mas não é porque foi tão bom que passou rápido, é porque foi curto mesmo!

A arte tem um traço mais alternativo nas mãos de Daniel Acuña. Parece que os personagens foram pintados num quadro. Achei interessante essa arte diferente, mas tem momentos realmente ruins, como no close no rosto de Hal, que fica uma coisa bizarra de tão ruim. Vale lembrar que Daniel Acuña não ilustrou a capa, isso foi trabalho do brasileiro Ivan Reis em parceria com Moose (Alce?) Bauman e Oclair Albert, por isso os estilos tão díspares de ilustrações da capa e da edição em sim. Mas de resto, principalmente os cenários que Acuña desenha, estão bons. É esperar e torcer pra que a próxima edição seja melhor no roteiro e que os deslizes na arte sejam corrigidos.

Lanterna Verde 18

Roteiro de Geoff Johns
Arte de Daniel Acuña

Notas
Roteiro: 7,0
Arte: 7,5

***

O rastro do tornado, epílogo - Lista de presença

Esse número da Liga da Justiça é um dos melhores dos últimos tempos, pelo menos dos últimos 2 anos. Não lia uma história tão envolvente com a liga desde crise de identidade. Mérito do roteirista Brad Meltzer, que não por acaso também escreveu crise de identidade.

Esse número não tem nenhuma luta, perseguição, traição, reviravolta nem nada do tipo. Simplesmente os personagens estão conversando, continuando na escolha dos novos velhos membros da liga. Mas a maneira com que Meltzer faz isso acontecer é incrível! Ele usa uma recurso interessante. Pega um personagem, no caso dessa edição o Raio Negro, e vai usando-o como um igual do leitor. Ao mesmo tempo em que ele apresenta as novas instalações da liga e modos de funcionamento da liga para o personagem é como se o leitor estivesse fazendo uma tour junto com o Superman, Batman e Mulher Maravilha. Metlzer sabe usar como poucos os personagens secundários.

As referências a outras fases da liga estão presentes o tempo todo, a começar pelo ótima capa. Meltzer consegue criar um clima saudosista, mas ao mesmo tempo mostrando os novos rumos que a liga irá traçar. Meltzer consegue criar momentos comoventes, como o convite que Hal e Dinah fazem a Roy (Arsenal) para entrar na liga da justiça, seu pai Ollie explicando a Hal o porque de não ter ido felicitar seu filho pela entrada na liga, e o momento mais alto, a hora da foto da nova liga, com vários quadros atrás dos personagens, mostrando as várias formações que a liga já teve com a a nova formação à frente. E isso com direito a página tripla impressa em papel especial! E ainda há vários ganchos para as próximas tramas da liga inseridas ao longo da edição.

Qualquer elogio a essa edição da Liga é pouco. O primeiro arco de Meltzer na revista da liga, O Rastro do Tornado, já era bom, mas dessa vez ele se superou e jogou as expectativas para seus próximos arcos na estratosfera! Quando comprei essa edição, chiei por causa do preço de r$7,50 diferente dos habituais r$6,90. Quando vi que tinha um "pôster" eu pensei que valia a pena pagar a mais pelo brinde. Mas quando acabei de ler LJA #7 conclui que pagaria 7,50 até mesmo se fosse apenas a revista da Liga, se as outras que compoem o mix (Lanter Verde e LJA Classified 37 e 38)

A arte de Ed Benes é muito boa, porém como eu já disse em reviews anteriores, ele peca ao exagerar demais na musculatura dos personagens. Na capa isso é ainda mais gritante, por ele exagera até Mulher Maravilha, que fica com bíceps enormes e com as coxas da Mulher Samambaia!

Liga da Justiça 7

Roteiros de Brad Meltzer
Desenhos de Ed Benes
Arte final de Sandra Hope e Ed Benes
Cores de Alex Sinclair


Notas
Roteiro: 10
Arte: 9,5

Leia também Review Liga da Justiça 64
CQQ #14 Video Girl Ai

2 comentários:

Codinome V disse...

Vale comentar que a Safira Estrela que morreu na ''Crise Infinita'' era outra mulher, que não tinham conexões com esse cristal alienígena, mas sim, com uma das gemas geradas por ele.

Rodrigo Galhano disse...

Suspeite desde o princípio! Obrigado pela correção V! Mas eu estava em dúvida se a Safira (o cristal) tinha sido destruído ou não. Mas de qualquer forma, quem é morto nos quadrinhos sempre aparece ;)

 
Templates para novo blogger